Impactos da COVID-19 nas finanças condominiais: como driblar?
2 de janeiro de 2021
Redes de proteção no condomínio trazem segurança para crianças e animais
3 de janeiro de 2021

Segurança de idosos no condomínio: quais medidas tomar?

ageing OTHER 79798798

Dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – 2017) revelam que mais de 30 milhões de pessoas no Brasil têm mais de 60 anos. Isso representa cerca de 15% da população. Por isso, a segurança de idosos no condomínio acaba sendo uma verdadeira prioridade em determinadas regiões do país.

E essa preocupação é tão séria que já existe até uma norma para discipliná-la – a NBR 9050/2004. E apesar de ela não tratar especificamente de idosos, costuma ser de extrema utilidade quando o assunto é, por exemplo, a acessibilidade desse grupo de indivíduos.

Em síntese, a norma determina modelos e configurações técnicas específicas para a construção, projeto, adaptação, instalação de equipamentos e estruturas no campo e na cidade. Além disso, especifica todas as regras que deverão ser seguidas para que as edificações apresentem boas condições de acessibilidade aos indivíduos.

As adequações da NBR 9050

Para ilustrar o que estamos falando, as principais adaptações exigidas pela NBR 9050, no que se refere especificamente à segurança dos idosos em condomínios, são:

  • Piso – determina que eles sejam andiderrapantes, ou pelo menos não tão lisos que possam expor os idosos a acidentes;
  • Escadas – nesse caso, as exigências da norma estão relacionadas com a instalação de pisos andiderrapantes e de alvenaria, em especial nas piscinas;
  • Rampas de acesso –as rampas devem substituir as escadas, além de apresentarem medidas específicas de inclinação;
  • Corrimões – aqui o recomendado é que eles sejam construídos em ambas as laterais da escada. Além disso, deverão prolongar-se a partir da parede, em uma espécie de junção com a mesma;
  • Portas – para a melhor segurança de idosos no condomínio, a norma determina que as larguras das portas sejam suficientes para que eles possam entrar utilizando cadeira de rodas. Ademais, exige-se também a pronta instalação de maçanetas andiderrapantes;
  • Elevadores – já com relação aos elevadores, o que se exige é que eles possam ser os substitutos das rampas antiderrapantes (na impossibilidade de instalá-las). Mas também deverão possuir extintores de incêndio e outros equipamentos de segurança;
  • Normas para o banheiro – todos os banheiros de condomínios agora deverão possuir suportes na forma de barras em suas laterais. Isso é importante porque permite um melhor apoio para os idosos (em especial os que utilizam cadeiras de rodas).

Outras regras que garantem a segurança de idosos no condomínio

Outra coisa importante a saber sobre a segurança de idosos em um condomínio diz respeito ao treinamento dos funcionários para lidar com esse grupo de indivíduos. Ou seja, determina que todos recebam treinamentos de primeiros socorros e de boas práticas com idosos.

Ademais, de acordo com a Norma Regulamentadora nº 7, os funcionários deverão estar sempre munidos de uma maleta de primeiros socorros, para os casos em que se fizer necessário.

E, por fim, a segurança de um idoso em condomínio também leva em consideração o respeito e a cordialidade dos funcionários com relação a eles. Isso porque, de acordo com a Lei 13.146/2015, os idosos enquadram-se na categoria de “vulneráveis”.

Logo, todo aquele que, por ação ou omissão, deixar de contribuir para o bem-estar de um idoso, estará incorrendo em crime e sujeito às devidas sanções penais de acordo com a legislação brasileira.

A segurança de idosos no condomínio é um dever de todos os componentes dessa imensa comunidade. Síndicos, funcionários e moradores são responsáveis pelo seu bem-estar. Faça sua parte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *