Boas práticas no condomínio em época de pandemia: 6 regras de ouro
19 de maio de 2020
O que é um condômino antissocial? Quais são suas consequências?
27 de maio de 2020

Lixo no condomínio: as melhores práticas para a boa convivência

O lixo no condomínio tende a ser um dos assuntos mais debatidos entre os moradores e a gestão condominial. Especialmente porque envolve situações nas quais alguns vizinhos podem descartar, de modo incorreto, seus lixos domésticos.

Em síntese, se você administra (ou apenas reside) em um condomínio, é bastante provável que já tenha se deparado com condôminos deixando sacolas de plástico em lugares indevidos, tais como corredores ou escadas. Todavia, certamente já presenciou, também, lixos atirados em caçambas em dias sem coleta.

Bem como a produção média de um indivíduo gira em torno de 1 kg de lixo diariamente, os condomínios são considerados um dos grandes geradores desses resíduos.

Os principais desafios para a implementação de boas práticas

Logo que todos aprendemos, desde a infância, que o lixo deve ser descartado no lixo, é inadmissível que algumas pessoas insistam em colocar sacolas ao lado de coletores ou em frente à porta de seus apartamentos, não é mesmo?

No entanto, as consequências mais graves desses maus hábitos incluem atritos entre vizinhos e aparência de sujeira e clima desagradável no condomínio.

Só para exemplificar, há, ainda, eventual geração de multas ao síndico ou aos próprios moradores. Com o propósito de evitar esses incidentes, os síndicos respondem criminal e civilmente pelos condomínios em que atuam.

Quais são as regras principais?

De conformidade com o praticado em muitos edifícios, os condomínios podem, conforme mencionado, responder criminalmente, por exemplo, caso algum resíduo seja atirado por um morador e caia sobre um carro ou um transeunte na rua.

Em contraste com esses exemplos de péssima conduta, as regras de descarte de resíduos em condomínios se relacionam à implantação de áreas destinadas a esse fim. Inegavelmente, essas áreas devem ser cobertas, a fim de evitar a exposição à chuva e à luz solar.

Anteriormente, as áreas em questão devem ser adequadamente sinalizadas, evitando que algum condômino mal-intencionado venha a alegar desconhecimento quanto à localização de contêineres de lixo.

Surpreendentemente, embora seja imprescindível, poucos condomínios implementam um programa e uma política consistente para a coleta seletiva dos resíduos que geram. Afinal, poucos edifícios contam com a separação de material reciclável e do lixo orgânico.

Tipos de coletas

Muitas pessoas reclamam do fato de que as caçambas de lixo ficam muito distantes de suas casas ou apartamentos. Só que, em muitas situações, isso não tem nada a ver com “preguiça”, mas com restrições de mobilidade, como se dá com pessoas com deficiência (PCDs), gestantes e idosos, entre outros.

Por analogia, alguns condomínios instalam lixeiras em escadas ou ao final dos corredores de cada andar. Em suma, essa iniciativa pode parecer positiva, contudo, em termos práticos, não é recomendada pelas autoridades responsáveis, como o Corpo de Bombeiros.

Com o fim de evitar que as lixeiras dificultem ou impeçam o combate a sinistros e incêndios, a medida é considerada inadequada desde um ponto de vista legal. Decerto, muitas dessas lixeiras são retiradas antes das vistorias do Corpo de Bombeiros e recolocadas após as visitas técnicas.

Por causa de atitudes como essas, é altamente recomendável que os síndicos redobrem a atenção e observem o disposto na legislação vigente, evitando serem implicados em quaisquer problemas relativos ao lixo no condomínio.

Para evitar que você tenha dores de cabeça nesse sentido, conheça as soluções personalizadas de gestão condominial que a ASC Service oferece!

Gostou do nosso artigo? O seu condomínio realiza alguma estratégia para lidar com esses tipos de problemas de lixo no condomínio? Então, deixe um comentário no post e divida conosco a sua experiência!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *