4 erros da portaria que podem afetar a segurança condominial
28 de outubro de 2019
O que é permitido e preciso para reformar fachada de prédio?
31 de outubro de 2019

Cuidados básicos para a limpeza de piscina do condomínio

Estamos em julho, o que significa que, com as férias, as crianças estão prontas para dar um mergulho. Mas, a limpeza de piscina do condomínio está em dia? Você sabe como proceder para oferecer uma boa manutenção sem custos altos?

A manutenção e limpeza de piscinas do condomínio

Um morador pode não perceber a quantidade de ações necessárias para manter a piscina segura e devidamente limpa. Entretanto, os síndicos devem entender muito bem os princípios básicos para desse tipo de limpeza.

Os 5 principais produtos usados

Entre os produtos que podem ser usados, temos os 5 mais importantes, que são:

  1. Cloro: um desinfetante para matar bactérias que, de outra forma, poderiam transmitir doenças de um usuário para outro;
  2. Ácido muriático (ou, às vezes, ácido sulfúrico): serve para aumentar a acidez da água;
  3. Bicarbonato de sódio: torna a água mais alcalina, mas moderando o nível de ácido;
  4. Cálcio: para aumentar a vida útil do acabamento da piscina;
  5. Ácido ciano-úrico: é um estabilizador para evitar que o cloro vaporize à luz do sol.

Os cuidados principais que se deve ter na hora da limpeza de piscina do condomínio

Filtragem da água da piscina

A filtragem da piscina deve ser feita todos os dias, mas dependerá ainda mais sua efetivação conforme o uso. O tempo de duração do processo vai depender do fabricante dos filtros usados, contudo, dura em média de 4 até 8 horas.

Para otimizar a limpeza, é preciso fazer a filtragem após o tratamento de controles de pH e clorações.

Controles de cloro

A limpeza de piscina do condomínio não pode ser feita sem o controle de cloro de 2 em 2 dias. Mas, atenção: a aplicação deve se dar preferencialmente à noite, pois evita que o sol evapore a substância.

Pela manhã deve-se verificar as proporções de cloro livre, que precisam permanecer em até 3 partes por milhão (ppm). Portanto, se o nível estiver acima ou abaixo, a piscina não pode ser usada.

Controles do pH

O pH deve ser controlado por 2 vezes durante a semana, antes de quaisquer outros tratamentos químicos. A não ser quando a água tiver o acréscimo de:

  • Tricloro;
  • Dicloro;
  • Hipoclorito de sódio.

O pH precisa estar entre 7 a 7,4. Sendo assim, se a fita de teste acusar alterações, o Sulfato de Alumínio (redutor) ou Barrila Leve (elevador) pode nivelá-lo novamente. Entretanto, caso não funcione, o processo deve ser repetido.

Aspirações da piscina

Ao menos 1 vez na semana é necessário fazer a aspiração. Se houver pouca sujeira, deve-se optar por “filtrar”. Mas, em limpeza de piscina do condomínio mais pesada, a escolha mais assertiva é a “drenagem”.

Limpeza da borda

Use esponjas macias 1 vez na semana, juntamente a produtos específicos para tal ação. Isso evita a contaminação.

Retrolavagens do filtro

Manter a boa qualidade do equipamento evita resíduos. Ao menos 1 vez na semana o processo deve ser executado. O enxágue também é importante para não voltar sujeira na água.

Algicida

Elimina as algas e não pode ser feito no dia que a cloração for executada.

Controles de alcalinidade

Se a fita do teste usada 1 vez na semana der algum valor diferente de 80 a 120 ppm, usar o “elevador” ou redutor”.

Supercloração

É mais necessário quando a piscina é usada com muita frequência, ou ao menos 1 vez no mês. É importante ressaltar que a permissão para nadar só pode ser feita quando o nível de cloro estiver dentro dos padrões.

Clarificações

Devem ser realizadas somente quando preciso, depois do controle de alcalinidade e pH.

E então? Ficou claro todo o processo de manutenção e os produtos a serem usados? Caso ainda tenha alguma dúvida sobre a limpeza de piscina do condomínio, deixe nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *