É preciso de atestado médico para usar piscina de condomínio?
5 de julho de 2019
Segurança no condomínio durante a noite: 4 dicas que você deve adotar
10 de julho de 2019

3 motivos para manter a dedetização no condomínio em dia

Quais seriam as vantagens de se fazer uma dedetização no condomínio? Mais do que isso, sendo indispensável para a preservação da saúde dos moradores e da estrutura do imóvel, qual seria a periodicidade recomendada?

A falta de dedetização é o mesmo que a falta de uma limpeza adequada no prédio. E a falta de limpeza geralmente proporciona o quê? Surgimento de insetos que carregam germes, bactérias e outros males ao organismo humano por terem contato com substâncias nocivas.

Além do potencial de espalhar doenças, esses insetos têm capacidade de danificar a estrutura de algumas áreas do prédio ao longo do tempo, especialmente os cupins. Ou seja, não dedetizar simplesmente não é uma opção.

Se você for o síndico, esse alerta é ainda maior: caso um condômino se veja lesado pela infestação de pragas em uma das áreas do imóvel, pode gerar uma ação judicial.

Os tipos de pragas

Os tipos de pragas mais comuns que costumam surgir quando não se há dedetização no condomínio:

  • Baratas (vivem tanto interna quanto externamente);
  • Aranhas (costumam se instalar em casas e jardins);
  • Pombos (transmissores de doenças);
  • Ratos (vivem sob entulho e são uns verdadeiros “pacotes de doenças ambulantes”);
  • Cupins (alimentam-se de celulose e lixo, por isso, são comuns em casas);
  • Traças (danificam roupas e papéis);
  • Formigas (comuns em áreas verdes, costumam causar alergias).

A periodicidade

A grande questão envolvendo dedetização no condomínio: de quanto em quanto tempo deve ser feito o procedimento?

O período mais usual é de seis em seis meses, mas não há nenhum estudo, orientação de rótulos de produtos, que apontem que esse período é o mais indicado ou não.

Em alguns casos, a dedetização no condomínio a cada semestre é mais do que suficiente, porém, em outros, se mostra ineficaz. E isso ocorre devido às características distintas de alguns prédios.

Alguns têm áreas verdes maiores do que outros, contam com piscina ou não, são maiores ou menores e todas essas variações contam na hora de determinar a periodicidade correta para garantir que não haja problemas com pragas.

O ideal é manter os cuidados de todas as áreas o ano todo para evitar transtornos. A ideia pode não agradar por questão de valores, uma vez que toda contratação de serviço ou compra de materiais precisa ser votada em assembleia.

Mas o que muitos síndicos desconhecem é que contratar uma prestadora de serviço fechando um pacote anual costuma ser uma opção bem mais vantajosa financeiramente do que contratar dedetização no condomínio de maneira avulsa.

Vale fazer as contas e apresentar aos condôminos.

As vantagens a seguir também devem ser colocadas em pauta:

  • Bem-estar dos moradores: a dedetização no condomínio evita a proliferação de doenças ao reduzir a instalação de pragas dentro dos apartamentos e o consequente contato com os moradores;
  • Durabilidade da infraestrutura: pragas podem danificar e comprometer a estrutura de áreas importantes dos imóveis. Zelar pela manutenção desses espaços aumentará o tempo de vida útil do local;
  • Economia: reformar áreas danificadas por insetos, além da dedetização há muito tempo adiada, exigirá investimento, o que acarretará em custo elevado. É melhor prevenir do que remediar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *